Você cuida bem de seus investimentos?

Por Rosa Maria Paulino

Economizar é o primeiro grande passo para ter segurança financeira durante a aposentadoria, mas decidir onde aplicar esse dinheiro é ainda mais crítico. Nada afeta mais a capacidade de seu portfolio sustentar sua aposentadoria do que a alocação que você faz dos seus ativos.

 

Você não precisa se tornar um consultor financeiro, mas deve ter noções básicas de como essa área funciona.

Antes porém de montar uma carteira de investimentos, pense em criar seu fundo de emergência - uma reserva financeira para cobrir imprevistos como a perda do emprego ou problemas de saúde. Seu fundo de emergência deveria ser suficiente para cobrir as despesas mensais por um período de 3 a 6 meses e estar aplicado em ativos seguros de alta liquidez, que possam ser resgatados rapidamente.

 

Agora sim, você está pronto para criar seu portfolio financeiro. Ao escolher os produtos que vão compor sua carteira de investimentos, você deve levar em consideração seu horizonte de investimento, necessidade de liquidez e perfil de risco.

 

Horizonte de investimento

 

Quanto tempo seu dinheiro pode ficar investido até você precisar dele? Esse é seu horizonte de investimento e ele determina o nível de risco - e de retorno - de sua carteira. Alguém que vai se aposentar em 2 anos, passando a ter menos oportunidades para aumentar ou reconstruir seu patrimônio, será muito mais conservador do que alguém com 25 anos de idade e que esteja começando a crescer profissionalmente.

 

Investidores jovens, com um longo horizonte de investimento pela frente, devem dar preferência a um portfólio mais agressivo. O seu foco vai ser crescimento, com maior participação de produtos de renda variável, mas deve incluir diferentes classes de ativos, para melhorar a performance e reduzir a volatilidade.

 

Um portfolio conservador é o mais indicado para pessoas já próximas da aposentadoria, e o seu foco está não apenas no crescimento mas principalmente na preservação do capital. Um portfolio conservador irá ter predominância de produtos de renda fixa.

 

Necessidade de liquidez

 

Ao decidir onde investir seu dinheiro, você deve ter em mente seus objetivos de curto, médio e longo prazos. Ao mesmo tempo em que deseja economizar para a casa de campo, você terá que poupar o suficiente para trocar de carro daqui a dois anos. Essa perspectiva irá ajudá-lo a selecionar aplicações cuja liquidez seja compatível com o horizonte de seus objetivos, ao mesmo tempo em que otimiza a questão fiscal.

 

Perfil de risco do investidor

 

Você deve conhecer o ditado “Não existe almoço grátis.” Isso, aplicado a seus investimentos, significa que quanto maior o retorno oferecido, maior o risco. Tente ficar longe de investimentos que o façam perder o sono pensando em possíveis prejuízos, mas seja realista: retornos maiores exigem certa margem de risco.  As pessoas precisam conhecer sua tolerância a riscos e escolher com cuidado produtos de investimento compatíveis com seu perfil. Afinal de contas, sofrer com os altos e baixos do mercado resulta em decisões precipitadas de compra e venda de ativos, o que costuma resultar em perda de rentabilidade.

 

Diversificação do Portfólio

 

As pessoas tendem a subestimar a importância de diversificar seu portfólio.

A idéia por detrás da diversificação é distribuir seu dinheiro entre classes de ativos que tenham pouca coisa em comum entre si, de modo que as varíaveis do mercado e da economia não afetem todos eles da mesma forma, simultaneamente. Isso significa, por exemplo, ter produtos de renda fixa, multimercados e renda variável.

 

Sua carteira também deve ter produtos de curto, médio e longo prazos, conforme seus objetivos financeiros, até porque investimentos de longo prazo tendem a oferecer vantagens fiscais, o que gera melhor rentabilidade.

 

Acompanhamento

 

Por último, revise sua alocação de ativos periodicamente. Mudanças no cenário econômico, tanto interno quanto externo, podem desbalancear seu portfolio e demandar realocações em seus investimentos. Uma vez por ano, certifique-se de que seu portfolio reflete seu horizonte de investimento, sua tolerância a riscos e suas prioridades.

 

Nesse momento, pode ser necessário rebalanceá-lo, vendendo ativos que se valorizaram e comprando ativos cujo preço de mercado esteja interessante, de modo a preservar a sua estratégia de investimentos.

 

Esta informação tem caráter educativo apenas e não deve ser considerada como recomendação de investimentos. Procure a orientação de um consultor financeiro antes de tomar suas decisões de investimentos.

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Suas Finanças?