É possível reduzir os riscos de contrair câncer?

Por Rosa Maria Paulino

É crença comum que o câncer é uma doença genética que não pode ser evitada. Entretanto, de acordo com a Sociedade Americana de Câncer, práticas saudáveis poderiam evitar cerca de metade das mortes por câncer. Veja a seguir alguns comportamentos que, de acordo com as últimas pesquisas, podem ajudar a prevenir o câncer ou pelo menos a diagnosticá-lo em seus estágios iniciais, quando as chances de cura são maiores.

Não fumar e não usar outros produtos à base de tabaco. 

O fumo aumenta o risco de muitos tipos de câncer, incluindo o de pulmão, brônquios,  boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, fígado, pâncreas, rins, intestino e bexiga. Se você fuma, pare. Se não fuma, não comece agora. Se tiver tentado parar anteriormente, continue tentando. Peça ajuda a seu médico, sua família e amigos, a seu empregador e até mesmo a seu convênio médico. Os benefícios de parar de fumar são tantos que muitas empresas de assistência médica oferecem ajuda específica para esse tipo de problema.

Fazer exames preventivos

Faça exames preventivos regularmente. Vários exames podem identificar o câncer em seus estágios iniciais, muitas vezes antes mesmo que o tumor se torne maligno. E o diagnóstico precoce pode aumentar sensivelmente as chances de cura. Estes são alguns dos exames atualmente disponíveis para o diagnóstico de tipos específicos de câncer:

  • Intestino: a partir dos 50 anos (ou mais cedo, se houver fatores de risco), todos deveriam passar por uma colonoscopia.  A frequência da colonoscopia depende do nível de risco - o médico irá recomendar o intervalo adequado a cada caso.

  • Mamas: a partir dos 40 anos (mais cedo, se houver fatores de risco), todas as mulheres devem passar anualmente por um exame clínico das mamas, feito por médico ou enfermeira treinada e uma mamografia. Conforme o caso, o médico pode recomendar outros exames como ecografia ou ultrassonografia.

 

  • Próstata: a partir dos 50 (ou mais cedo, se houver fatores de risco), todos os homens devem passar anualmente por um exame físico (exame de toque retal) e de sangue para checar os níveis de PSA ou Antígeno  Prostático Específico. O médico pode recomendar também um exame de ultrassonografia transretal.

  • Colo do útero: exames para diagnóstico do câncer cervical (Papanicolau e HPV) devem se tornar uma rotina a partir do momento em que a mulher se torna sexualmente ativa e continuar pelo resto da vida. O médico irá recomendar a freqüência desses exames, dependendo da idade e dos fatores de risco existentes.

  • Pele: todos os adultos deveriam passar por uma avaliação médica anual, que pode ser feita pelo clínico geral. Pessoas dentro do grupo de risco devem ser avaliadas por um dermatologista. 

 

Reduzir o consumo de álcool

Isso significa não mais do que dois drinques por dia para os homens e um drinque diário para as mulheres. O uso de álcool aumenta o risco de diversos tipos de câncer, incluindo o das mamas, do esôfago, intestino, pâncreas, cabeça e garganta. 

Proteger a pele do sol

Use filtro solar diariamente (de preferência um com SPF de no mínimo 30  e que proteja tanto dos raios UVA quanto dos UVB). Use chapéus e óculos de sol, exponha a menor área de pele possível e evite o sol entre as dez horas da manhã e as quatro horas da tarde, quando o sol é mais forte. Lembre-se de que janelas - de casa ou do carro - não impedem a passagem dos raios solares portanto use filtro solar regularmente. 

Manter-se fisicamente ativo

As pesquisas indicam que 3 a 4 horas por semana de exercícios moderados reduzem o risco de diversos tipos de câncer entre 30 e 50%.  Estudos demonstraram que o exercício regular reduz o risco de câncer das mamas e do intestino e estudos mais recentes indicam que o câncer do pulmão e do endométrio também podem ser reduzidos dessa forma. Não é preciso ser atleta para se beneficiar da atividade física - uma caminhada a passos rápidos, andar de bicicleta, dançar ou qualquer outra atividade física que eleve seu batimento cardíaco e o faça transpirar já é benéfica.

Manter o peso na faixa ideal

Pessoas obesas têm maiores riscos de desenvolver vários tipos de câncer como o de intestino, mamas, pâncreas, fígado, rins e endométrio e possivelmente leucemia e linfoma. Há também evidências de que homens obesos que desenvolvem câncer de próstata tendem a sofrer de uma forma mais agressiva da doença. Tente manter seu peso estável - de preferência não mais do que 3 a 5 quilos acima do peso que tinha com 18 anos. Adote uma dieta rica em legumes, verduras e frutas frescas, e baixa em alimentos calóricos como carboidratos refinados e gorduras.

Adotar uma dieta de prevenção do câncer

Pesquisas indicam que uma dieta baseada em legumes e verduras pode reduzir o risco de diversos tipos de câncer, especialmente o de intestino. Algumas diretrizes gerais:

  • Reduza o consumo de carne vermelha -  se possível, não mais do que 120 g por dia em média.

  • Evite carnes processadas como salsichas e embutidos, devido aos produtos químicos usados em seu processamento.

  • O Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos recomenda o consumo de no mínimo 5 porções de legumes e frutas por dia. Prefira os legumes pobres em amido e legumes e frutas de cores fortes, que têm maior  concentração de vitaminas. 

  • Reduza o consumo de alimentos altamente calóricos, como doces, refrigerantes ou sucos adoçados, pães e biscoitos refinados.

  • Consuma alimentos com alto teor de cálcio e vitamina D, como iogurte e leite. Se sua dieta não suprir sua necessidade diária, converse com seu médico sobre o uso de suplementos.

Fontes de consulta: Fred Hutchinson Cancer Research Center e Sociedade Brasileira de Cancerologia

 As informações contidas neste site não substituem em hipótese alguma as orientações dadas pelo seu médico. Somente ele está apto a diagnosticar e tratar qualquer problema de saúde.

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Saúde & Bem Estar?