Que tal ter seu próprio negócio?

Por Rosa Maria Paulino

Começar um negócio próprio depois dos 50 anos é mais comum do que parece - pessoas nessa faixa etária têm maior experiência e estabilidade financeira. Ainda assim, sair de um salário garantido para a incerteza de um negócio próprio requer um planejamento cuidadoso.

Afinal, para quem está na faixa dos 50 anos, será mais difícil voltar ao mercado de trabalho caso o resultado não seja o esperado. Além disso, há o risco de colocar em jogo seu futuro financeiro, ao investir parte de suas economias em um negócio que não deu certo.

Faça sua lição de casa

Antes de gastar um centavo em sua brilhante idéia, descubra quem terá necessidade de seu produto ou serviço. Você deve ser capaz de identificar que necessidade o seu produto ou serviço irá preencher. Como pensa em vendê-lo? Quem serão seus concorrentes? Ao mesmo tempo, é necessário definir o mercado que deseja atacar. Quanto mais restrito for esse segmento de mercado, mais restritas as chances de seu negócio se expandir. Além disso, segmentos maiores e em fase de expansão permitem uma margem de erro maior, o que significa mais tempo e oportunidades para se recuperar e redirecionar o negócio, se necessário.

A falta de uma pesquisa de mercado pode condenar seu negócio ao fracasso. Procure uma associação da classe ou o sindicato da categoria para obter informações estatísticas sobre o segmento de mercado escolhido. A prefeitura e órgãos públicos locais podem fornecer dados demográficos sobre a comunidade em que deseja atuar. E não deixe de contatar o Sebrae, que oferece treinamento e orientação valiosos para os pequenos empreendedores. 

Crie um plano de negócios

Já trabalhou sua idéia? Coloque no papel. Um plano de negócios simples, mas bem estruturado irá ajudá-lo não apenas a visualizar o desenvolvimento de seu negócio, mas também a vender seu projeto para investidores e quem quer que vá financia-lo. Seu plano deve incluir:

 

  • uma descrição da empresa e seus objetivos de curto e médio prazo

  • uma descrição dos produtos ou serviços oferecidos, bem como suas características exclusivas ou vantagens competitivas.

  • uma descrição do mercado-alvo para o produto ou serviço

  • uma projeção financeira para os próximos 3 ou 5 anos, com as despesas, vendas e a lucratividade estimadas para o período.

  • uma análise do desempenho esperado de seu negócio face à concorrência

  • a descrição da equipe necessária, incluindo habilidades críticas

  • o investimento necessário para a criação e expansão do negócio

  • a estratégia de saída

 

Encontre financiamento

Com a projeção financeira em mãos, o próximo passo é avaliar suas possíveis fontes de financiamento.

A maior parte das pessoas pensa imediatamente em usar seus próprios recursos para dar o pontapé inicial em seu projeto. Esses recursos podem vir de uma indenização trabalhista, da venda de ativos ou das economias guardadas. Usar recursos próprios pode ser melhor do que pedir dinheiro emprestado, principalmente se a taxa de juros for maior do que a rentabilidade de seu próprio dinheiro aplicado. Consultores especializados recomendam, entretanto, que a pessoa separe o total necessário para a sua aposentadoria antes de se aventurar em um negócio próprio.

Pessoas na faixa dos 50 anos têm uma larga rede de contatos e acesso a relacionamentos construídos ao longo do tempo. Você pode encontrar gente interessada em financiar seu projeto entre ex-colegas de trabalho ou funcionários de instituições financeiras conhecidos. Com o seu plano de negócio em mãos, fica mais fácil explicar o que você pensa fazer, quanto vai custar, quanto já conseguiu juntar e quando e como pretende pagar. Amigos e familiares também são uma opção, mas cuidado para não comprometer o relacionamento. E é sempre bom certificar-se de que seus investidores entendem os riscos envolvidos.

Com relação a fluxo de caixa, não espere ver dinheiro entrando em seu bolso por um bom tempo. Você precisará contar com dinheiro suficiente para se manter por um ano no mínimo - não levar esse aspecto em consideração pode colocar seu negócio em risco.

Prepare-se

Não confunda talento com capacidade de administrar. Por melhor cozinheiro que seja, seu restaurante não terá sucesso se você não entender um pouco de administração, marketing e contabilidade. Isso é particularmente importante quando o negócio é de pequeno porte e não tem condições de contratar uma equipe de profissionais especializados.

Invista seu tempo antes de investir seu dinheiro: busque educação e ajuda nos serviços locais de desenvolvimento de negócios, Sebrae, associações de classe e sindicatos. Se possível, comece a montar o negócio enquanto ainda estiver trabalhando em sua atividade principal.

Abrir seu próprio negócio é uma forma de se manter ativo depois de aposentado, mas muita gente tem a falsa expectativa de que trabalhar por conta própria significa menos estresse - na verdade, pode ser exatamente o contrário.

Além do aspecto financeiro, aposentados que decidam começar seu próprio negócio devem planejar quanto tempo e energia irão comprometer ao iniciarem essa empreitada. Para algumas pessoas, ter sua empresa é uma forma de dar continuidade à sua carreira em seus próprios termos. Elas se tornam consultoras em sua área de experiência e trabalham em um esquema mais flexível. Mas aquelas que abrem empresas com uma equipe de funcionários a ser gerenciada devem estar preparadas para trabalhar 8 horas por dia, 5 dias por semana. Na maioria das vezes, bem mais do que isso. Saber quanto quer colocar em termos de tempo e energia antes de começar seu negócio é fundamental para que sua atividade esteja alinhada com seus objetivos de vida.

Tenha uma estratégia de saída

Para quem inicia um negócio próprio com mais idade, outro aspecto a ser considerado é por quanto tempo pretende mantê-lo e o que vai acontecer com ele quando não estiver mais à frente da empresa. Muitas vezes, os filhos decidem por outra carreira e a saída é fechar a empresa ou passá-la adiante. Ter uma idéia antecipada do que vai ocorrer pode ajudá-lo a tomar decisões com relação a investimentos e expansão do negócio.

De modo geral, quem planeja passar sua aposentadoria tocando sua própria empresa precisa entender os riscos envolvidos: a receita tende a ser muito mais variável e não há benefícios como assistência médica ou férias. Mas o resultado pode ser muito gratificante e não apenas em termos financeiros. 

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Trabalho & Carreira?