Quais são seus objetivos de investimento?

Por Rosa Maria Paulino

Todo mundo sabe que é importante poupar, investir a poupança de modo adequado e criar uma reserva financeira para o futuro. Entretanto, sem um objetivo a ser alcançado, é difícil manter a motivação e a determinação necessárias para chegar ao fim do caminho.

Se você tem dificuldades em guardar dinheiro ou em manter sua poupança intocável, está na hora de pensar nas coisas maravilhosas que fará com o dinheiro que economizou. Comece definindo seus objetivos e seus sonhos.

 

Defina seus objetivos

 

Ao invés de seguir uma estratégia financeira e depois avaliar se ela se adapta a seus objetivos, por que não fazer o inverso?

 

Primeiro defina quais são seus sonhos e objetivos e a seguir desenvolva um planejamento financeiro para chegar até eles. Não deixe de lado nenhum de seus desejos, por mais tolos que possam parecer como passar mais tempo com a família, tocar piano ou aprender a pilotar um avião. Quaisquer que sejam seus sonhos, você vai precisar descobrir como liberar os recursos de tempo e dinheiro necessários. Liste de 5 a 10 objetivos financeiros e depois defina quais são realmente importantes e atribua uma prioridade a cada um.

 

Equilibre diferentes objetivos

 

Agora que você definiu seus objetivos mais importantes, está na hora de criar um plano de ação para eles. Por exemplo, se um de seus objetivos é comprar um carro para seu filho de 16 anos, você deve começar a poupar a cada mês o valor necessário para chegar ao valor total do veículo em um período de 2 anos.

 

Alguns objetivos terão que ser redimensionados. Um casal de amigos sonhava comprar uma fazenda e criar gado no interior do estado mas ao analisarem a receita de ambos e os custos envolvidos com a compra do imóvel , chegaram à conclusão de que levariam muitos anos até conseguir juntar o suficiente. O casal optou por comprar um pequeno sítio na região onde mora. Agora um dos cônjuges está com problemas de saúde e precisa estar próximo de um centro médico especializado. O casal vai precisar readequar seus objetivos outra vez. A vida acontece enquanto a gente planeja e, afinal, o planejamento é um processo, não um produto final.

 

Considere seu horizonte de tempo

 

Qual é seu horizonte de tempo? Alguns objetivos têm data de validade - como a educação. Quando um filho nasce, a gente sabe que dali a 18 anos esse bebê estará entrando na faculdade.

 

Outros sonhos são mais flexíveis, mas podem depender de sua saúde financeira: o momento de se aposentar, por exemplo, ou de mudar para uma casa maior. Uma pessoa que chega aos 35 anos sem qualquer poupança e quer se aposentar aos 50,  precisará obter um retorno improvável sobre seus investimentos, adiar a data de aposentadoria ou reduzir seu objetivo de renda futura. Será necessário achar uma forma de reconciliar as diversas variáveis.

 

Você não quer que os impostos devorem seus investimentos, mas antes de colocar todas as suas economias em um plano de previdência com diferimento fiscal, avalie se não vai precisar de dinheiro para outra finalidade antes da aposentadoria. Caso contrário, você poderá acabar pagando um imposto significativamente maior do que imaginava.

 

Invista com base em seu horizonte de tempo

 

Determine seu horizonte de investimento e aplique seu dinheiro de forma apropriada.

 

Curto prazo: para objetivos a serem atingidos em menos de 3 anos você normalmente não investe no sentido mais amplo da palavra, você poupa. Por exemplo, se você planeja trocar de carro daqui a dois anos, é melhor colocar seu dinheiro em uma aplicação segura, que ofereça liquidez e retorno moderado, de modo que esteja disponível quando precisar dele.

 

Médio prazo: para objetivos entre 5 e 10 anos, a chave é diversificar seu portfólio. Se seu horizonte for superior a 5 anos, pode ser interessante ter algum investimento em ações, possivelmente um fundo indexado.

 

Longo prazo: dependendo de sua tolerância a riscos, você talvez possa lidar com um pouco mais de volatilidade em seu portfólio. Para objetivos além de 10 anos, recomenda-se alocar parte de sua carteira em ações, porque você vai precisar de crescimento.

 

Determine sua tolerância a riscos

 

Tente ficar longe de investimentos que o façam perder o sono pensando em possíveis perdas, mas aceite riscos suficientes para assegurar o crescimento de seus investimentos. As pessoas precisam conhecer seu perfil de risco. Como se sentiriam se os 5000 que investiram na sexta-feira valessem 4000 na segunda? Se a sensação for muito ruim, esqueça os investimentos mais agressivos e escolha com cuidado produtos de investimento compatíveis com seu perfil de risco. Mas seja realista: retornos maiores exigem certa margem de risco. Mesmo que você corra riscos em outras áreas de sua vida, essa coragem e sangue frio não se aplicam necessariamente à sua vida financeira.

 

O problema com a tolerância a riscos é que se você não souber o que deseja atingir, será difícil saber o nível de risco que estará disposto a assumir. Quanto mais entusiasmado você estiver com relação a um objetivo, mais claro será para você o grau de risco que está inclinado a correr.

 

Pronto, você já pode começar a sonhar com a viagem para o exterior, a casa no campo ou o apartamento na praia. Agora que você sabe seu destino, ficou muito mais fácil encontrar o caminho mais curto e mais rápido para chegar até ele.

 

Esta informação tem caráter educativo apenas e não deve ser considerada como recomendação de investimentos. Procure a orientação de um consultor financeiro antes de tomar suas decisões de investimentos.

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Suas Finanças?