Assine nosso blog

O desafio de trabalhar para alguém mais novo que você


Um fato que salta aos olhos é que o mundo corporativo é formado por pessoas cada vez mais jovens. Para quem está no mercado há mais tempo, o difícil não é trabalhar com alguém mais novo e sim para alguém mais novo do que você.


​Conflito de egos, competitividade, diferenças no estilo de comunicação e liderança são fatores que podem prejudicar seriamente a relação de trabalho. Entretanto, trabalhar para alguém mais jovem pode ser um aprendizado e, sabendo como lidar com as diferenças, é possível até mesmo construir uma sólida relação de trabalho com seu superior. Esteja aberto às novas idéias e maneiras de um gerente mais novo fazer seu trabalho. Funcionários antigos ou mais velhos costumam achar que gerentes mais novos não têm interesse em sua experiência, mas é claro que elas serão úteis e necessárias em algum momento. Ao invés de tentar provar quão experiente você é, mostre-se disponível a aprender um novo modo de fazer as coisas.


Defina suas expectativas. Saiba logo de início quais são suas responsabilidades e que resultados você deve alcançar. Tente identificar como as pessoas que ocuparam o cargo antes de você se saíram na função, como resolveram os problemas e como se relacionaram com seu gerente e os colegas de trabalho. Essa informação irá mostrar se haverá necessidade de adaptar sua forma de trabalho. Comunicar-se abertamente é o segredo para que o relacionamento com seu supervisor funcione.


Adapte-se ao mundo eletrônico. Gerentes mais jovens adotam as mídias eletrônicas em seu processo de interação com a equipe, em lugar das reuniões frequentes de antigamente. O uso de ferramentas e aplicativos de mensagens instantâneas e videoconferências (Skype, Facetime, Whatsapp, etc.) faz parte da rotina diária de seu gerente e deveria fazer parte da sua também. Acostume-se a abrir esses programas assim que chegar ao escritório e mantenha seu celular por perto o tempo todo. Aliás, dominar as funcionalidades de um smartphone é absolutamente essencial. Sinta-se confortável para trabalhar com diferentes mídias, aprenda a usar as redes sociais e familiarize-se com a comunicação eletrônica.


Esteja preparado para pouco contato pessoal. Não se surpreenda com o pouco tempo gasto em reuniões e encontros presenciais. Além disso, comece a rever a idéia de que o número de horas trabalhadas é diretamente proporcional à qualidade do trabalho. Gerentes da nova geração estão mais interessados nos resultados que você produz do que no tempo que passa no escritório e são adeptos do trabalho virtual.


Controle a tentação de falar sobre suas experiências e realizações passadas. Mantenha seu foco no presente. Mantenha seu gerente atualizado quanto ao progresso que você tem feito em seus projetos e os resultados alcançados. Se tiver dúvidas, pergunte. Cumpra os prazos combinados e tente superar as expectativas.

Jamais – repito jamais – compare seu jovem gerente a seus filhos, mesmo que eles já sejam adultos maduros e bem sucedidos. Falar sobre o que você estava fazendo quando tinha a idade dele também está fora de questão. Se você acredita que a diferença de gerações não é importante em termos de desempenho, não fique falando nisso o tempo todo.


Procure aumentar sua empregabilidade. Quando um gerente introduzir um novo sistema ou método de trabalho, aproveite a oportunidade. Pense nisso como uma chance de ser pago para aprender a utilizar uma nova ferramenta que pode vir a ser útil em um mercado cada vez mais competitivo.


Não se prenda ao título de seus cargos anteriores. A nova geração não se preocupa tanto com hierarquias. Prefere uma estrutura de trabalho mais horizontal, com menos níveis hierárquicos e maior igualdade de oportunidades. Além do mais, ressaltar sua vasta experiência pode passar a mensagem de que você acredita estar mais preparado para ocupar o cargo do que seu gerente. Muito mais produtivo é procurar desenvolver habilidades parecidas com as de seu superior, de modo a tornar-se um bom candidato na hora de uma promoção.


#profissionaismaisvelhos #mercadodetrabalho #gerentesmaisjovens #liderança #aprendizado #empregabilidade #experiência #longevidade

Rosa Maria Paulino

Tudo começou assim: depois de anos investindo na carreira, eu parei de trabalhar. E aí, vieram todas as perguntas difíceis: Eu vou poder abrir mão de um salário? Como vou gastar todas as horas do dia? Será que vou ser feliz longe do mundo corporativo?

Eu não sabia, mas saí atrás das respostas. Fui ver como estavam as finanças. Relembrei  aptidões e habilidades. Resgatei o que me fazia feliz e decidi como gostaria de viver dali para a frente. E descobri que para ter um Futuro Sob Medida, eu teria que criá-lo.

 

Desde então, muita coisa aconteceu.​ 

 

Retomei o convívio com a família e fiz novos amigos. Adotei um estilo de vida mais saudável e equilibrado. Organizei e passei a controlar minhas finanças. Investi em atividades culturais e de lazer. E achei que minha experiência poderia ajudar outras pessoas na mesma situação.

 

Vamos nessa?

Assine nosso blog