Cuide das pessoas idosas e vulneráveis



Apesar de os jovens estarem mais expostos ao novo coronavírus, em função de suas atividades escolares, os sintomas da Covid-19 são menos severos e podem ser até inexistentes nessa faixa etária. Por isso, mesmo não apresentando sinais da doença, jovens e adolescentes podem acabar transmitindo o vírus aos avós ou familiares idosos, mais vulneráveis. O problema é que o isolamento social, recomendado pelas autoridades de Saúde, pode ser particularmente difícil para elas.


Em função da restrição de visitas e cancelamento de eventos e atividades comuns, existe a preocupação de que o distanciamento social possa afetar as rotinas e ameaçar a vitalidade dos idosos. O isolamento pode agravar ainda mais o risco de outras doenças se desenvolverem. Além de elevar o nível dos hormônios do estresse e inflamações, a exclusão pode aumentar o risco de doenças cardíacas, artrite, diabetes tipo 2 e depressão.


É importante manter uma rotina saudável, com horas suficientes de sono, alimentação equilibrada e atividades físicas. Exercícios ajudam a estimular o sistema imunológico, reduzir a inflamação e manter a saúde mental e emocional. Se for necessário suspender exercícios em ambientes fechados, talvez seja possível caminhar em locais abertos e pouco frequentados.


E caso tenha amigos ou familiares em clinicas de repouso, converse com os cuidadores sobre as medidas de prevenção. Certifique-se de que estejam lavando as mãos e usando álcool gel. Equipamentos utilizados devem ser higienizados e desinfetados. Em clínicas de repouso, principalmente, os rumores e as notícias desencontradas podem deixar as pessoas assustadas e inseguras. Converse com elas de forma clara e transparente, atualizando as informações a intervalos regulares.


Ajude os idosos a assumirem o controle das medidas de precaução que precisam tomar, para que se sintam envolvidos e não duplamente penalizados pela situação.