Assine nosso blog

Coronavírus x idosos



A esta altura todo mundo já sabe que o maior grupo de risco nesta pandemia de coronavirus é formado pelos idosos, particularmente aqueles com problemas de saúde pré-existentes, e por pessoas com doenças como diabetes, hipertensão e problemas respiratórios.

Não existe evidência de que pessoas idosas tenham maior facilidade para adquirir a doença mas, de acordo com os especialistas, as pessoas acima de 60 anos, se infectadas, têm maior probabilidade de ver a doença se agravar. Isso acontece por dois motivos: pela maior probabilidade de já sofrerem alguma condição física que afete a capacidade do organismo de combater e se recuperar da doença e pelo enfraquecimento do sistema imunológico decorrente do envelhecimento. Por isso, idosos e seus familiares precisam estar particularmente atentos às medidas de precaução recomendadas pelas áreas da Saúde.

Cuidados básicos de prevenção

  • Siga as recomendações dos especialistas da área de saúde. As recomendações de como proceder com relação à pandemia são alteradas frequentemente, em função de sua evolução. Acompanhe os pronunciamentos oficiais dos especialistas da área da Saúde.


  • Adote as medidas básicas de higiene: lave as mãos frequentemente com água e sabão, por no mínimo 20 segundos, sanitize mãos e objetos de uso frequente com álcool gel a 70%, cubra boca e nariz ao espirrar ou tossir, não fique muito próximo das outras pessoas.


  • Evite transporte público, aglomerações e lugares mal ventilados, que facilitam a transmissão do vírus.


  • Evite reuniões familiares mas se forem necessárias, reduza o número de pessoas e adote todas as medidas de higiene recomendadas acima.


  • Faça um estoque razoável de suprimentos básicos, não perecíveis, e artigos de higiene, para evitar saídas constantes, mas não exagere na quantidade, evitando contribuir para a escassez de produtos.


  • Se estiver em quarentena, não corte totalmente o contato com familiares e amigos. A tecnologia e as redes sociais permitem que eles estejam atualizados sobre seu estado de saúde e ajudam a reduzir a ansiedade provocada pelo isolamento.

Mude sua rotina de atividades diárias

  • Cancele consultas médicas ou visitas ao dentista que não sejam absolutamente necessárias. Muitas vezes, é possível compartilhar os resultados de exames e conversar com o médico por telefone. Peça a seu médico uma prescrição suficiente para dois ou três meses de consumo de remédios de uso contínuo.


  • Algumas lojas estão oferecendo horários de compras exclusivos para idosos e pessoas em situação de risco, mas é preciso também evitar aglomerações e assegurar uma distância de no mínimo 1,50 m entre as pessoas.


  • A opção mais segura é pedir que alguém, que não faça parte do grupo de risco, faça suas compras ou comprar por telefone ou pela internet e pedir para entregar em casa


  • Troque grandes supermercados com longas filas por comércios menos procurados. Aliás, com a crise na economia, isso até ajuda a manter os pequenos comerciantes funcionando.


  • O distanciamento social, uma das recomendações básicas das organizações de saúde, pode resultar em isolamento social, um problema comum já existente na população mais velha. Não cancele o convívio com amigos e parentes idosos, apenas troque a presença física pela presença virtual. Use Zoom, Skype ou FaceTime. Não se esqueça da antiga forma de comunicação, o telefone.


  • Só viaje em caso de necessidade absoluta. Aliás, este é o pior momento para fazer um cruzeiro, onde o risco de transmissão é maior e o processo de quarentena, se necessário, mais difícil.

Esse período vai ser difícil e desafiador, mas em algum momento, vai passar. Enquanto isso, se cuide e cuide dos outros.

Rosa Maria Paulino

Tudo começou assim: depois de anos investindo na carreira, eu parei de trabalhar. E aí, vieram todas as perguntas difíceis: Eu vou poder abrir mão de um salário? Como vou gastar todas as horas do dia? Será que vou ser feliz longe do mundo corporativo?

Eu não sabia, mas saí atrás das respostas. Fui ver como estavam as finanças. Relembrei  aptidões e habilidades. Resgatei o que me fazia feliz e decidi como gostaria de viver dali para a frente. E descobri que para ter um Futuro Sob Medida, eu teria que criá-lo.

 

Desde então, muita coisa aconteceu.​ 

 

Retomei o convívio com a família e fiz novos amigos. Adotei um estilo de vida mais saudável e equilibrado. Organizei e passei a controlar minhas finanças. Investi em atividades culturais e de lazer. E achei que minha experiência poderia ajudar outras pessoas na mesma situação.

 

Vamos nessa?

Assine nosso blog