Já escolheu sua próxima carreira?

Por Rosa Maria Paulino

A cada dia um número maior de pessoas que já comemoraram os 50, 60 ou 70 anos retornam ao mercado de trabalho. Como disse o poeta David Whyte, “Nós passamos a primeira metade de nossas vidas descobrindo do que a gente gosta. Deveríamos achar um jeito de fazer essas coisas na segunda metade.”

 

Por que não aproveitar este momento para tentar novos caminhos e se permitir ser a pessoa que você é e fazer as coisas que um dia imaginou fazer?

 

Relembre sua infância e sua juventude - essa época de nossas vidas tão ricas de sonhos e possibilidades! Tire os álbuns de fotografias da prateleira e busque em suas fotos a lembrança das coisas que lhe faziam feliz. O que você fazia? Que pessoas estavam com você nos momentos em que se sentia feliz?

Agora pense nas coisas que sabe fazer bem. Reflita um pouco e crie uma lista de suas habilidades, tanto as adquiridas através de treinamento ou experiência (finanças, por exemplo), como aquelas que você consideraria como um dom natural (organização, iniciativa). Inclua suas qualidades intangíveis, como persistência e determinação. Não limite sua lista - inclua mesmo as características que você não mencionaria em uma entrevista de emprego, como senso de humor. Se tiver a sorte de ter alguém imparcial e que se preocupe com você o suficiente para ser sincero, peça sua ajuda e atualize a lista.

 

Se você descobriu suas áreas de interesse, parabéns! Mas como saber se é isso mesmo? Considere trabalhar como aprendiz ou voluntário na atividade que lhe interessa. Muitos profissionais em campos como a fotografia, gastronomia, moda e beleza aceitariam de bom grado um assistente em troca do compromisso de orientar seus primeiros passos na área.

 

Mas descobrir o que você quer fazer pelo resto de sua vida é só o começo - como fazê-lo é a pergunta seguinte. Existem várias maneiras em que você pode fazer uso de sua experiência e talento.

 

Consultoria

Você pode otimizar sua experiência, contatos e recursos profissionais através de uma carreira como consultor.

 

Coaching

A sua experiência profissional, aliada à sua experiência de vida e ao domínio de técnicas efetivas de coaching podem dar origem a uma nova carreira, seja trabalhando como coach corporativo junto a empresas ou diretamente com os profissionais, como um coach pessoal.

 

Projetos temporários

Projetos de curta duração oferecem desafio e diversidade na medida certa, ao mesmo tempo em que permitem conciliar sua disponibilidade pessoal de tempo. Além disso, a oportunidade de criar novos relacionamentos profissionais e conhecer novos mercados pode ser considerada como um bônus extremamente valioso.

 

Negócio próprio

Este pode ser o momento certo para iniciar seu próprio negócio. Nem todo mundo tem perfil para ser empresário mas se este for seu desejo, busque todas as informações necessárias e certifique-se de ter um plano de negócios antes de investir suas finanças em algo que é novo para você. 

 

Voluntariado

Não limite suas opções de uma nova carreira a uma atividade remunerada. Se você está em busca de realização pessoal e pode abrir mão de uma fonte de receita, trabalho voluntário pode ser uma forma maravilhosa de colocar sua experiência a serviço de uma causa social. Além disso, considere que o voluntariado é também uma forma de adquirir novas habilidades ou desenvolver as que já possui.

 

Ensino

O seu conhecimento e a experiência prática que adquiriu em sua área de trabalho são extremamente valiosos no campo do ensino. Escolas técnicas e universidades objetivam preparar seus alunos para o mercado de trabalho através de uma sólida base teórica aliada a uma visão prática de como aplicar esse conhecimento da forma mais eficaz. Você sabe exatamente como fazer isso.

 

Como você vê, existem inúmeras oportunidades de se tornar produtivo, encontrar realização pessoal e profissional e ainda fazer uma contribuição à sociedade. Talvez você precise se matricular em um curso ou estudar materiais de consulta para dar uma polida em suas habilidades. Talvez sua nova atividade não seja inicialmente assim tão bem remunerada.

 

Como diz David Whyte, tudo isso faz parte de “achar um jeito de fazer as coisas que a gente gosta na segunda metade da vida”. Afinal, o que você tem a perder quando a outra opção seria não fazer nada?

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Trabalho & Carreira?