Finalmente...o 13o. salário!

Por Rosa Maria Paulino

Está chegando um dos momentos mais esperados do ano: o pagamento do 13º. Salário. Para uma grande parte dos brasileiros, esse dinheiro extra já é considerado parte do orçamento dos meses de novembro e dezembro. Mas cuidado para não cair em algumas armadilhas, como a de se esquecer que para quem recebeu a primeira parcela antecipada, o pagamento agora irá corresponder a apenas 60% do total. E lembrar-se de que sobre essa segunda parcela é que irão incidir os descontos de INSS e Imposto de Renda.  

Considerando o momento de incerteza gerado pela recente crise econômica, fica duplamente difícil decidir o que fazer com esse dinheiro extra, prestes a entrar em sua conta bancária. Aproveite o momento para planejar como e onde utilizar essa renda adicional. Anote quanto vai receber - já descontados os impostos - e liste tudo o que gostaria de fazer com esse dinheiro. Você vai descobrir rapidamente que ele não será suficiente, o que significa que você terá que atribuir prioridades à sua lista. 

Pagamento de dívidas

Todos os analistas financeiros são unânimes em recomendar que o 13o. salário seja usado para quitar dívidas, principalmente aquelas com taxas de juros mais altas, como o cartão de crédito e o cheque especial. Pesquisa da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) aponta que 64% dos brasileiros pretendem seguir a recomendação dos especialistas e quitar ou reduzir as dívidas já contraídas. Mas atenção: mesmo com dinheiro em mãos, negocie antes de quitar suas dívidas. Na maioria dos casos, você vai conseguir descontos para o pagamento das parcelas atrasadas.

Pagas as dívidas com altos encargos, está na hora de pagar aquelas que podem trazer inconveniências ou constrangimentos, como as contas de água, eletricidade, telefonia, mensalidades escolares, planos de saúde, taxas de condomínio. Não conseguiu pagar tudo? Lembre-se de que você quase sempre pode renegociar suas dívidas, reduzindo os juros mensais e o valor das parcelas remanescentes. Todo financiamento é caro - mesmo a opção de crédito consignado para aposentados, pensionistas e funcionário públicos tem em média taxas mensais superiores à da inflação do ano todo. Quitar dívidas, portanto, é sempre a prioridade no. 1.

Despesas de início do ano

Depois de quitar ou amortizar suas dívidas, a segunda recomendação é guardar uma parte desse dinheiro para cobrir as despesas extras de todo início de ano: IPVA, IPTU, matrícula e materiais escolares. Com dinheiro em mãos, você pode se beneficiar dos descontos oferecidos para pagamentos à vista.

Festas de fim de ano

Mas a vida não é feita somente de obrigações... afinal, seu 13º. salário é resultado de um ano inteiro de trabalho! Você vai querer festejar o Natal e o Ano Novo, presentear parentes e amigos e aproveitar as férias escolares viajando ou levando a garotada para o shopping ou ao cinema. Mais despesas... Como ninguém é de ferro e a gente trabalha para viver e não o inverso, defina antecipadamente quanto de seu abono você vai reservar para gastar sem culpas. Diferente de anos anteriores, quando os brinquedos foram os itens mais procurados, este ano a intenção de compra está focada nos eletrodomésticos e celulares. Antes de sair às compras, avalie se você precisa mesmo do último modelo de celular e se não vale a pena esperar pelas liquidações pós-Natal. E cuidado para não cair de novo no cartão de crédito ou cheque especial.

Investir

As pesquisas mostram que apesar da estabilidade econômica dos últimos 15 anos, o brasileiro ainda não tem a cultura de poupar e investir. Ainda assim, para quem conseguir poupar uma parte do abono, o mercado oferece uma variedade de produtos financeiros, distribuídos entre renda fixa e renda variável. Ao analisá-los, leve em consideração seu horizonte e perfil de investimento e as taxas de administração cobradas para cada produto. E não se esqueça que um dos melhores investimentos que você pode fazer é poupar para o seu futuro, aumentando o valor de contribuição para o fundo de pensão de sua empresa ou investindo em um dos planos de previdência privada disponíveis no mercado.
 

Esta informação tem caráter educativo apenas e não deve ser considerada como recomendação de investimentos. Procure a orientação de um consultor financeiro antes de tomar suas decisões de investimentos.

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Suas Finanças?