Fazendo o seu dinheiro durar

Por Rosa Maria Paulino

Você já deve ter lido os vários artigos que escrevemos sobre a necessidade de se planejar para a aposentadoria - a importância de poupar, investir corretamente e diversificar seu portfólio de modo a acumular o capital necessário para viver pelo resto da vida. Mas será que você já pensou no que fazer para que suas economias durem tanto quanto sua aposentadoria? 

Ao longo da vida, todo mundo está sujeito a circunstâncias que colocam em risco sua segurança financeira. Pode ser a perda do emprego, um acidente ou doença mais séria, um negócio mal sucedido ou uma decisão de investimento equivocada. Durante a aposentadoria, quando sua renda tende a ser menor e a possibilidade de obter novas fontes de receitas diminuem, você precisa ficar particularmente atento a fatores que podem fazer com que seu dinheiro termine antes do esperado:

  • Investimentos que não  acompanham a inflação, diminuindo o poder de compra de suas economias.·

  • Alocação de uma parcela significativa de seu capital em investimentos de risco ou de alta volatilidade.

  • Saques excessivos de suas economias

  • Falta de um plano de saúde que cubra doenças mais sérias, que requeiram tratamentos prolongados.

 

Fazer com que seu dinheiro dure toda a sua aposentadoria requer algum trabalho e planejamento - quanto mais cedo você adotar as recomendações abaixo, maiores as chances de sucesso. 

Controle seus resgates

Para que suas economias durem 25 anos ou mais, a recomendação dos especialistas é que você utilize cerca de 4% de seus ativos em seu primeiro ano de aposentadoria e, nos anos seguintes, limite seu resgate anual a esse valor ajustado pela inflação.


Você também precisa levar em conta a alíquota de Imposto de Renda que incide sobre o investimento do qual vai resgatar uma parcela. A regra geral é sacar primeiramente dos investimentos que paguem alíquotas regulares de IR e deixar que os produtos com redução progressiva da alíquota cresçam pelo maior tempo possível.

Invista com cuidado e bom senso

Embora faça sentido correr menores riscos em seus investimentos à medida em que a aposentadoria se aproxima, algumas pessoas exageram. Com maior expectativa de vida, pode ser uma boa estratégia manter uma parcela de seus investimentos aplicados em ações, ainda que a maior parte esteja alocada em produtos mais conservadores. 

Saúde é um fator imprevisível. Esteja preparado

Problemas de saúde - seus ou de seu cônjuge, podem aumentar significativamente as despesas relacionadas a saúde e desequilibrar totalmente seu planejamento financeiro. Ter um plano de saúde que inclua cuidados prolongados é uma necessidade.

Otimize o beneficio do INSS

Para um grande número de pessoas, o benefício do INSS representará quase a totalidade de sua renda depois de aposentadas. E, para tornar as coisas mais difíceis, para uma grande parte delas essa receita não será suficiente para cobrir o total das despesas mensais. Quanto mais tempo você trabalhar antes de solicitar o benefício, maior será a parcela paga mensalmente.

Considere continuar trabalhando

Um número cada vez maior de pessoas decide continuar trabalhando, mesmo depois de aposentadas, como uma forma de complementar sua renda - e é bom lembrar que em muitos casos, além do salário adicional, o trabalho também proporciona benefícios como assistência médica ou seguro de vida. Por outro lado, cresce a cada ano o número de aposentados que continuam trabalhando em sua atividade original ou em uma nova carreira para se sentirem produtivos ou manter o convívio social. 

Adote um outro estilo de vida

Onde e como você vai viver terá um grande impacto sobre sua segurança financeira no futuro. Talvez seja o momento de trocar sua casa atual por outra menor, na mesma cidade ou até mesmo em outro local, onde o custo de vida seja mais baixo. Se considerar esta opção, avalie não apenas o aspecto financeiro, mas também o clima, a distância da família e amigos e as oportunidades de trabalho na região. 

Reduza suas despesas

Com mais tempo disponível para viajar, fazer compras ou se dedicar a atividades de lazer, as pessoas costumam gastar mais na aposentadoria do que imaginavam. Algumas medidas que você pode adotar para administrar melhor suas despesas:

  • Aprender a distinguir entre aquilo que você realmente necessita e o que seria bom ter, se pudesse ·

  • Abandonar os cartões de crédito. Além de estimularem o consumo, os juros cobrados para pagamentos parciais são absurdamente altos

  • Evitar saques nos caixas automáticos - eles acabam fazendo você perder o controle de quanto está efetivamente gastando

  • Comprar de forma consciente. Use listas de compras e compare preços. Fazer as compras do mês no local que oferecer preços mais baixos pode representar uma economia total significativa. Além disso o uso de listas evita a compra de itens supérfluos.

  • Equilibrar seus gastos. Não gaste demais em uma área sem fazer a devida compensação em outra. Se fizer uma viagem mais cara, reduza o número de visitas a restaurantes ou teatros.

  • Livrar-se do excedente. Talvez seja a hora de vender o segundo carro, o apartamento da praia ou cancelar serviços que você já não utiliza com freqüência.

 

Se você for casado, coordene esses esforços com seu cônjuge. Combinem um patamar de gastos confortável para ambos e fiquem dentro dele. Esse é um processo que afeta o casal e por isso mesmo deve ser visto como um objetivo em comum.  E, com duas pessoas envolvidas, vai ser bem mais fácil manter o orçamento da casa sob controle.  
 

Esta informação tem caráter educativo apenas e não deve ser considerada como recomendação de investimentos. Procure a orientação de um consultor financeiro antes de tomar suas decisões de investimentos.

Gostou deste artigo?
Cadastre-se e receba um alerta sempre que um novo artigo for publicado.
Quer ler outros artigos sobre Suas Finanças?